TANGARÁ DA SERRA - Exposição revela qualidades de artesãos empreendedores

Impulsionados por autogestão e trabalho coletivo, representantes do médio norte expressam capacidades criativa e produtiva, organização e qualidade

Pelo menos sete importantes empreendimentos que fazem parte da Economia Solidária da região de Tangará da Serra iniciaram na manhã desta segunda-feira (11), no saguão principal da Assembleia Legislativa, uma exposição de produtos desenvolvidos por meio de modelo alternativo para geração de renda.

Impulsionados por autogestão e trabalho coletivo, os artesãos empreendedores do médio norte mato-grossense abriram a mostra com trabalhos que expressam capacidades criativa e produtiva, organização e qualidade. “Eles são a representação máxima do povo de Mato Grosso, com raízes que nos remetem ao início da história do artesanato”, observou o deputado Wagner Ramos (PR). Ele se referiu ao período neolítico (ano 6.000 antes de Cristo) e aos indígenas, os mais antigos artesãos brasileiros.

A relação entre Tangará e a economia solidária foi iniciada durante as atividades do III Encontro Mato-grossense de Educação e Sócio-Economia Solidária (Emesol), que ocorreu em Tangará da Serra, em 2005, organizado pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

Segundo o chefe do Departamento Administrativo da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Tangará, Alexandre Pereira de Andrade, o município tem legislação própria relacionada à economia solidária e o Núcleo de Políticas voltadas para o tema. “A prefeitura também terá instalações próprias e espaços para as atividades-fim, vai agregar cursos e já tem verba municipal”, explicou Alexandre.

Responsável direto pela agenda de exposições na Assembleia Legislativa, o Instituto Memória coordenou a abertura da semana dedicada ao artesanato de Tangará. “Consideramos única cada uma dessas oportunidades para que a cultura mato-grossense seja enaltecida”, disse a superintendente do IMPL, Ísis Catarina Brandão.

Os atuais expositores são: Arte da Terra, do Distrito de Progresso, com artesanatos em barro e cerâmica; Frutos do Vale (Assentamento Vale do Sol.2 – Doces em Conserva); Vale do Tarumã (Assentamento Antonio Conselheiro – Tapetes); Costureiras de Tangará; Girassol (Fibra de Bananeira); Mandala Viva (Artesanatos, inclusive em madeira); e Artetan – Variedades em artesanatos culturais). A mostra se estenderá até a próxima quinta-feira (14).

FERNANDO LEAL / Assessoria de Gabinete

Nenhum comentário: