ALTERNATIVO - Tangará volta a mostrar sua força na economia solidária

Modelo foi apresentado em reunião oficial da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – um dos maiores eventos científicos do país

Em mais uma mostra dos resultados positivos obtidos até aqui – a partir do princípio da economia solidária – empreendedores de Tangará da Serra realizarão na Assembléia Legislativa uma exposição de produtos desenvolvidos por meio de modelo alternativo para geração de renda. Impulsionados por autogestão e trabalho coletivo, pelo menos sete empreendimentos que fazem parte da Economia Solidária da região garantiram presença.

São eles: Arte da Terra, do Distrito de Progresso, com artesanatos em barro e cerâmica; Frutos do Vale (Assentamento Vale do Sol.2 – Doces em Conserva); Vale do Tarumã (Assentamento Antonio Conselheiro – Tapetes); Costureiras de Tangará; Girassol (Fibra de Bananeira); Mandala Viva (Artesanatos, inclusive em madeira); e Artetan – Variedades em artesanatos culturais).

Todo o suporte para o desenvolvimento do projeto está no Fórum Municipal de Economia Solidária. “Ele auxilia os empreendimentos na gestão de renda e na melhoria da qualidade de vida das pessoas”, observou a coordenadora, Edna Carvalho de Souza. Ela lembrou que o Fórum tem apoio de entidades, da Prefeitura de Tangará e suporte logístico do deputado Wagner Ramos (PR).

“Além de original, a política de economia solidária praticada em Tangará tem um histórico bonito, inspirador e de importância estratégica. Tanto que ela foi apresentada em 2010, em reunião oficial da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – um dos maiores eventos científicos do país”, observou Wagner. Ele se referiu ao trabalho do especialista em Economia Solidária pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Juliano Luís Borges.

Também doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), entre outros títulos, Borges disse no encontro da SBPC que o desenvolvimento social, através da economia solidária, deve ser encarado como responsabilidade do Estado. Mais ainda: que a esfera governamental deve garantir, por meio de ações efetivas, a consolidação de mecanismos que contribuam para o desenvolvimento de alternativas para os trabalhadores.

A exposição está prevista para acontecer entre os dias 11 e 14 de novembro próximo, no saguão principal da Assembléia Legislativa.

Mais Informações:
Assessoria de Gabinete
(65) 3322-6723

Nenhum comentário: